Follow by Email

sábado, 27 de março de 2010

PLANEJAMENTO


PLANEJAMENTO

O que é planejar? Na definição do Dicionário Aurélio é fazer o plano, elaborar um plano. E plano é projeto com fim determinado, conjunto de métodos e medidas para a execução de um empreendimento.
Tendo esta verdade em mente, é preciso enfatizar que não podemos viver sem planos, ou seja, precisamos sempre planejar.
Se tenho o desejo de construir uma casa, não posso só ficar no campo da idéia, é preciso ir para o campo da ação, isto é, planejar esta construção.
Lendo o livro Planejamento Estratégico de Josué Campanha, ele afirma que, ao elaborar um plano, devemos fazer algumas perguntas: desejamos avançar em que, avançar para onde, quanto avançar, de que forma avançar, com que custo?
O papa da administração moderna Peter Drucker afirmou: “Um plano não é nada, a menos que ele se transforme em ação”.
Precisamos conhecer as estratégias, os caminhos, as oportunidades e os obstáculos para elaborarmos um bom planejamento.
Tenho grandes sonhos para a comunidade onde congrego, para que o sonho tornar-se realidade é preciso planejamento. É necessário ter visão do futuro e colocar a visão em ação.
Estou sempre aberto a novos conhecimentos, creio que na vida, vamos aprender até morrer. Nesta busca de aprendizagem, tenho participado de palestras sobre diversos assuntos, dia 09 de Março participei de uma no Posto do Sebrae Artur Nogueira. O tema da palestra foi “Planejando a abertura do seu negocio”, entre outros assuntos foi abordado sobre a avaliação da oportunidade, onde é preciso identificar a necessidade, ver se há perspectiva de lucro e quanto tempo dura esta oportunidade. Também vimos sobre a importância de elaborarmos um plano de negocio. As seguintes perguntas servem como parâmetro – oque, quanto, como, porque, quando e onde.
Sem um plano não chegaremos a lugar nenhum. O próprio Jesus Cristo ensinou sobre a importância do planejamento, observe as palavras dele registradas em Lucas 14:28,29 e 30.
“Pois qual de vós, pretendendo construir uma torre, não se assenta primeiro para calcular a despesa e verificar se tem os meios para a concluir? Para não suceder que, tendo lançado os alicerces e não a podendo acabar, todos os que virem zombe dele, dizendo: Este homem começou a construir e não pode acabar.”
É necessário fazer planos, não podemos ser simplistas e achar que tudo será resolvido na hora, num passe de mágica. Se não planejarmos, vamos ficar a ver navios.
Termino com a seguinte afirmação, nem tudo que planejamos será concretizado. O autor de Provérbios 16:1 diz: “ O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do Senhor”.
Em resumo diria, façamos a nossa parte e dependamos de Deus.

segunda-feira, 22 de março de 2010

UNIÃO INDISPENSÁVEL


UNIÃO INDISPENSÁVEL

João 15.1-14
“Eu sou a videira; vós sois as varas. Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer” (15.5).

Dizem que a união faz a força. Certa ocasião participei de uma dinâmica em que o participante devia quebrar um palito de sorvete, depois dois e assim por diante. Em certa altura da dinâmica não era possível quebrar os palitos sem a ajuda de todos os participantes, então, juntos somos mais.
Podemos também perceber o efeito da união na política, em época de eleições, e este ano é um ano eleitoral, os partidos fazem coligações para tentar ganhar as eleições.
Do inicio ao fim da vida precisamos de pessoas, quando nascemos duas pessoas se uniram para que pudéssemos ser gerados e ao morrermos, vamos precisar da união de quatro ou mais para carregar o nosso caixão.
Gosto muito deste texto sobre a videira e os ramos de João 15, ele ensina muito sobre unidade, comunhão.
Jesus foi bem claro aos seus discípulos ``sem mim nada podeis fazer’’, e não podemos mesmo.
O texto fala que se permanecermos Nele daremos muito fruto, e no verso 7 Jesus também enfatiza sobre a unidade a ele e a sua palavra ``se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito’’.
Todos precisam estar ligados a Jesus, pois, só seremos frutíferos quando entendemos a importância de estar diariamente unidos a Cristo.
Não estamos falando apenas de unir-se a uma denominação, ou filiar-se a um departamento da igreja, mas, o que se espera é a união com Jesus.
Esta união acontece no dia da conversão, ou seja, quando a pessoa reconhece o seu pecado e pede para Jesus fazer morada permanente na vida.
Quem permanecer em mim diz Jesus, esse dá muito fruto, para frutificar é necessário esta união indispensável. Somos cristãos porque decidimos aceitar o convite de Jesus de ir a Ele e agora estamos unidos com Ele. Glória a Deus.


terça-feira, 16 de março de 2010

ENTREVISTA COM O MISSIONÁRIO WEIDER




ENTREVISTA COM O RADICAL ÁFRICA
Weider Alves Pereira(Pib Volta Redonda)
Concedida ao Wagner Luan Rodrigues da Silva dia 14.03.2010 no templo da PIB Artur Nogueira



No último dia 14.03.2010 a PIB Artur Nogueira recebeu a visita do missionário do Projeto Radical África Weider. Durante à tarde ele deu uma palestra a liderança da igreja e falou de suas expectativas e respondeu as perguntas dos líderes. A noite ele participou do culto dando testemunho e trazendo a mensagem.
Abaixo segue uma entrevista onde o missionário esclareceu algumas dúvidas.
Wagner – Quando e onde você sentiu o tocar de Deus para ser missionário?
Missionário – Me converti com 22 anos, durante a visita de uma turma do Radical que faziam a divulgação do Projeto em igrejas do Rio de Janeiro e na minha cidade Volta Redonda, então eu senti tocado por Deus para ser radical.
W – E porque você decidiu ser Radical África?
M – É uma pergunta que eu me fazia, as pessoas diziam que a África é um campo difícil, mas eu senti que Deus queria me usar na África, a necessidade religiosa na África é muito grande e são poucos missionários, então eu vi ali uma oportunidade de levar Deus aquele povo.
W – Você vem de uma família evangélica?
M – Não, eu moro com a minha mãe, uma tia e um primo que eu considero um irmão, tamanho é a nossa união, mas nenhum deles são evangélicos, apenas fazem algumas visitas a igreja.
W – Já que você não vem de uma família evangélica, como eles reagiram a sua decisão?
M – No começo eles ficaram meio apreensivos, mas sempre me apoiaram porque eles tinham convicção de que era aquilo mesmo que eu queria e então eu comecei a fazer parte de um projeto no morro do Borel no Rio.
W – Projeto na favela? O que é esse projeto?
M – Nós participávamos desse projeto em parceria com a Jocum, que mantém uma base fixa no morro e então alguns jovens vão lá e ajudam, eu participei da parte de construção mesmo, como pedreiro, azulejista, mas o que gostei mesmo foi do trabalho com as crianças, na área de esporte como o futebol e o basquete. Tinha as oficinas de brincadeira, artesanato e até de informática.
W – Você acha que essa experiência vai te ajudar no campo?
M – Claro, afinal o trabalho numa favela é sempre muito difícil, afinal tem a questão do tráfico e a aceitação da população que são descrentes de ajuda, afinal muitos são esquecidos pela sociedade, e o povo africano também. Assim, as maiorias dos países são muito pobres.
W – Qual o critério escolhido pela Junta para a seleção e como ele é feito?
M – O primeiro passo é a pessoa se escrever no site, ai a Junta manda diversos questionários, onde nós respondemos para que ela conheça o nosso perfil, então depois nós vamos para o processo seletivo e existe alguns requisitos que nós temos que preencher como:
- ser solteiro
- Ensino Médio completo
- Ter 18 a 28 anos
- Ter desenvoltura e ser submisso a liderança
- E principalmente saber reagir a situação adversa
W – Quanto tempo dura o treinamento e estadia no campo?
M – Primeiro a gente fica numa espécie de colégio aprendendo um pouco de teologia, sociologia e principalmente a gente aprende sobre o campo onde iremos atuar. Isso dura em torno de 1 a 2 anos. Depois somos enviados ao campo por até 2 anos, dando ai em torno de 4 anos.
W – 4 anos não é muito tempo e como lidar com a saudade da família?
M – No Colégio, nós ficamos em regime de internato, só falamos com a família 1 vez por semana, já no campo é em média 1 vez por mês, quando temos que enviar relatórios para a Junta e ai falamos com nossa família.
Essa saudade eu me apoio no Salmos 68:6 onde Deus dá ao solitário uma família e no seminário os meus amigos passaram a ser minha família, já no campo eu vou ter uma nova família e eu vou me agarrar a esse sentimento para sanar a saudade de casa.
W – Fale um pouco do seu campo missionário
M – Eu vou ser enviado ao Senegal, uma antiga Colônia Francesa, um campo onde há muito trabalho e poucos missionários.
W – Como será o seu trabalho?
M – Eu vou no final de abril, ficarei em Dacar capital daquele país num período de adaptação que vai durar em torno de 3 a 4 meses, depois eu vou para o interior, nas aldeias onde eu atuarei.
W – Os países Africanos são conhecidos por seus conflitos étnicos, você não tem receio?
M – Eu sei dos riscos que há, mas a confiança em Deus é maior porque eu sei que Ele cuidará de mim.
W – E para encerrar deixe uma mensagem para a igreja e os jovens
M – É que nós como igreja temos que olhar para as pessoas com um olhar de compaixão e ver em nossa cidade uma oportunidade de evangelismo.
Já para os jovens é que eles são a igreja do presente em não do futuro, tem que encarar os desafios do cotidiano da vida cristã, são uma oportunidade de crescimento, então arregace as mangas e trabalhem para Cristo.

segunda-feira, 15 de março de 2010

OBJETIVO DOS EVANGELHOS



OBJETIVO DOS EVANGELHOS


João 20:24-31
“estes, porém, estão escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o filho de Deus, e para que, crendo tenhais vida em seu nome” (João 20:31)

Conheci um pastor que escreveu um livro sobre kakangelhos, palavra grega, dizia ele que: ``evangelho é noticia boa e kakangelho é notícia ruim’’.
Quando pensamos no evangelho convém entender o seu significado e importância para nós.
Vivemos num mundo difícil, como o apóstolo Paulo escreveu em 2ª Timóteo 3 ``os homens seriam mais amigos dos prazeres que amigos de Deus`’’.
O pecado separou o homem de Deus, de si mesmo, do próximo e da natureza. A Bíblia diz em Romanos 6:23 ...``o dom gratuito de Deus é a vida eterna’’.
Conhecer o evangelho é conhecer o grande amor de Deus, amor incondicional, amor que dá o que tem de melhor em favor da humanidade.
O objetivo do evangelho é levar o homem pecador a crer que só Jesus Cristo pode salvar, pois, o evangelho que significa boas novas, boas notícias, veio para levar o homem a ter esperança novamente.
Quando prestamos atenção no significado do evangelho, caímos no texto do apóstolo Paulo em 1ª Corintios 15:3,4 `` Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras. E que foi sepultado, e que ressurgiu ao terceiro dia, segundo as Escrituras’’.
Se falarmos apenas que Cristo morreu, não é o evangelho completo, se falarmos que ele foi sepultado também não é o evangelho completo, mas, se falarmos que Cristo morreu, foi sepultado e ressurgiu ao terceiro dia, ai sim, falamos da essência do evangelho, falamos do evangelho na sua totalidade.
O apóstolo João no texto de hoje diz ...``estes, porém, estão escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o filho de Deus, e para que, crendo tenhais vida em seu nome’’.
Querido amigo, creia no evangelho, creia na mensagem do evangelista João, deposite sua total confiança em Cristo, só assim você terá vida eterna.
Evangelho sem Cristo não funciona, só Jesus Cristo faz toda diferença em nossa vida.


quarta-feira, 10 de março de 2010

UMA IGREJA ALEGRE


UMA IGREJA ALEGRE



Venha conhecer a 1ª Igreja Batista em Artur Nogueira, um povo alegre e feliz.
A razão da nossa alegria é Jesus.
Temos programação para as crianças, juniores, adolescentes, jovens e adultos.
Os nossos cultos são alegres e inspiradores.
Somos uma família, amamos uns aos outros e a Deus sobre todas as coisas.
Nosso endereço é Rua Ademar de Barros, 2135 – Pq.Paineiras – Artur Nogueira-SP
Reuniões – 4ª Feira às 19h30
Sábado Jovem 19h30
Domingo às 09h00 Escola Bíblica e 10h45 Culto
19H00 Culto de Louvor e Adoração

terça-feira, 2 de março de 2010

FUGIR


FUGIR

O que é fugir? O dicionário da língua portuguesa diz que fugir é desviar-se, ou retirar-se apressadamente, por-se em fuga, arrancar-se.
Muitos acham que fugir é sinônimo de fracasso, perda, derrota, incapacidade.
Vou mostrar na Bíblia que fugir em certas ocasiões é necessário, não significa fracasso, pelo contrário.
A história de José, filho de Jacó é um exemplo clássico. Ele tinha sido vendido pelos seus irmãos e agora estava morando na casa de Potifar (Oficial de Faraó – Comandante da Guarda) no Egito. Na casa de Potifar, José tornou-se mordomo (administrador da casa). A Bíblia diz em Gênesis 39:5 que ... “o Senhor abençoou a casa do egípcio por amor a José”....
José foi tentado pela esposa de Potifar, qual foi a sua reação? Fugiu. Gênesis 39:12
A história bíblica registra que por sua fidelidade a Deus, mais tarde ele tornou-se governador do Egito.
A Palavra de Deus deixa exortações claras: fuja dos desejos da mocidade, fuja da prostituição, fuja do amor ao dinheiro.
Quando pensamos na palavra fugir, o meu pensamento percorre o livro de Jonas, ele é um exemplo negativo que jamais devemos seguir.
Jonas recebe uma incumbência de Deus para ir a Nínive pregar contra ela, o que ele faz? Ele simplesmente vai a outra direção fugindo do seu chamado.
Enxergo três atitudes erradas que Jonas tomou e que nós jamais deveremos tomar.
1ª Jonas fugiu do seu compromisso
Deus deu uma ordem e ele desobedeceu
2ª Jonas teve gastos desnecessário
Comprou passagem para ir a Társis e não para Nínive
3ª Jonas não deu crédito a situação dos Ninivitas
O meu dever e o seu é encarar os compromissos de frente, não devemos jamais fugir dos compromissos assumidos.
Toda vez que fugimos dos nossos deveres, com certeza teremos gastos desnecessários.
É preciso dar valor ao reino de Deus e buscar uma vida de comunhão com Ele, obedecendo.
Então, o nosso desafio é encarar de frente as responsabilidades, jamais fugir.